Gersony Silva - Extensões em sensações ao horizonte

Gersony Silva - Extensões em sensações ao horizonte

As obras de Gersony Silva são caleidoscópios mutáveis. É gesto do fazer que se apresenta como obras distinguidas pela natureza do plano e daquilo que o ocupa. A artista concede especial importância à relação claro-escuro na composição, sobretudo nas pinturas e fotografias, estabelecendo um equilíbrio visual desdobrado em matizes estéticas de intensidade autoral singular.
A representação se ajusta em grande parte a formas e à trajetória espacial das mesmas, como em Véu de Maya, deixando adivinhar as possíveis sintaxes internas dos processos visuais inerentes aos dispositivos sensoriais conjugados pela artista, como o movimento e o acentuado cromatismo, similares ao de um caleidoscópio. Isso resultante da intensidade de suas experiências como ser humano e como artista, de sua consolidada formação em Artes Visuais e a avigorada trajetória de ações nessa área.
Essa mobilidade processual sugerida nas obras de Silva, tanto conceitual como visual, proeminentemente circulam como planos e em esquemas indefinidos cartograficamente, que orlam com exuberância cromática (incluindo as transparências e as relações fisionômicas com o espaço, o espectador e as demais extensões [obras]) em um cosmos infinito: na ranhura vulcânica da série Fendas e as consequentes significações e interpretações processuais recorrentes, na alteridade enunciada da permanência e infixidez da série Sobre a Areia o Azul.


Serviço:
GERSONY SILVA - Extensões em sensações ao horizonte
De 08 a 24 de novembro de 2016, no Espaço Cultural da Reitoria da UNESP (Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”) | Rua Quirino de Andrade, 215 - Centro | Curadoria: Andrés I. M. Hernández | Texto crítico: Oscar D’Ambrosio | www.gersony.com.br | ge@gersony.com.br