Maior exposição do artista plástico chinês Ai Weiwei chega a São Paulo

Maior exposição do artista plástico chinês Ai Weiwei chega a São Paulo

Primeira mostra do artista no Brasil é a maior já realizada – com 8 mil m2 – e traz obras históricas e outras inéditas nascidas de sua imersão pela cultura no país. Em cartaz em São Paulo, a partir de 20 de outubro 

Um dos principais nomes da cena contemporânea mundial, Ai Weiwei deixou seu país de origem em 2015 e se destaca no cenário internacional pelo interesse que demonstra pelas questões sociais e humanas, como a crise mundial de imigração. Alguns de seus trabalhos mais conhecidos são grandes instalações que muitas vezes tensionam o mundo contemporâneo e os modos tradicionais chineses de pensamento e produção, como sua obra-prima Dropping a Han Dynasty Urn (Deixando cair uma urna da dinastia Han), um trabalho que mostra o jovem artista derrubando intencionalmente uma urna cerimonial de cerca de 2.000 anos, da Dinastia Han, período da história da civilização chinesa. A ação subversiva e transformadora foi captada e transformada em três imagens que vêm sendo expostas em mostras por todo o mundo. No Brasil, poderá ser vista a versão dela em peças de Lego.

Outras obras históricas conhecidas mundialmente também estarão expostas, como a Sunflower Seeds (Sementes de Girassol), Straight (Reto), Forever Bicycles (Bicicletas Forever) e Moon Chest (Cofre de Lua. Já a imersão pelo Brasil contou com a consultoria da designer Paula Dib e colocou o artista em contato com comunidades, artesãos, manifestações culturais e recursos regionais até então desconhecidos por ele, resultando em trabalhos inéditos, feitos com madeira, sementes, raízes tecidos e couro.

Há também múltiplos produzidos especialmente para o Brasil, formados por moldes em porcelana branca ou pintada, de quatro elementos tipicamente brasileiros que, com as iniciais de seus nomes, constroem a palavra FODA: Fruta do Conde, Ostra, Dendê e Abacaxi. Ex-votos feitos por artesãos de Juazeiro do Norte (CE), uma instalação feita com couro e o alfabeto armorial, de Ariano Suassuna, mais de uma tonelada de sementes de olhos de cabra são outros dos cerca de 70 itens que completam a mostra que ficará em cartaz até 20 de janeiro de 2019. 

Coproduzida com as fundações Proa (de Buenos Aires, Argentina) e CorpArtes (de Santiago, Chile), que receberam a mostra em formato menor, também com curadoria de Marcello Dantas, AI WEIWEI RAIZ é uma exposição organizada pela Magnetoscópio com Ai Weiwei Studio, em colaboração com a Lisson Gallery e apoio de neugerriemschneider e Galleria Continua.

SERVIÇO:

AI WEIWEI RAIZ

De 20/10/2018 a 20/01/2019

Oca - Parque Ibirapuera (Av. Pedro Álvares Cabral, s/n)