Peça baseada em Albert Camus é destaque no Sesc Vila Mariana

Peça baseada em Albert Camus é destaque no Sesc Vila Mariana 

“Não tenham mais medo, esta é a condição. Joguem fora as mordaças, e gritem comigo que não sentem mais medo.” Para se libertar da Peste é preciso resistir e lembrar que o povo sempre tem o poder. A alegoria ganha forma através de personagens como a Peste (interpretado por Elias Andreato) e a Morte (o ator Claudio Fontana). Acompanhe esta luta no espetáculo “Estado de Sítio”, adaptação do diretor Gabriel Villela para o texto do filósofo Albert Camus, em cartaz no Sesc Vila Mariana até 16 de dezembro.

No drama, após os maus presságios pela passagem de um cometa, os habitantes de Cádiz, na Espanha, passam a ser governados pela Peste, que depõe um governo reacionário e institui um poder arbitrário por meio da ameaça de morte. Ela instaura o Estado de Sítio e cria um regime burocrático, esvaziado de sentido e dominado pelo medo. Uma cidade sitiada e uma população dividida. A vida dos cidadãos é submetida ao império da Peste e de sua Secretária, de modo que o sofrimento e o desespero se tornam banais. No meio desse cenário desolador e aterrador haveria espaço para uma “revolta” estimulada pelo amor aos seres humanos e pela liberdade? Para se libertarem da Peste será preciso resistir ao medo que se tem dela acreditando que, assim como a aparição do cometa, a situação instaurada é uma força histórica e passageira, e que o povo sempre detém o poder eterno. 

Serviço:

Sesc Vila Mariana (Rua Pelotas, 141)

Até 16 de dezembro

Quintas e sábados, às 21h; domingos e feriados, às 18h.

Ingressos: R$ 12/R$ 40.

Informações: (11) 5080-3000